quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

O LANÇAMENTO DO RAMO AO RIO!

Ia eu fotografar uns estranhos passarocos pousados à beira rio, quando surgiu um casal com um ramo na mão...

... que me ultrapassou sem dizer água vai: espantaram os passarocos e aproximaram-se da água...

...e pararam à beira Tejo, demorando-se um pouquinho a olhar as águas azuis...

... depois, ela recuou, tomou balanço e...


... lançou o ramo à água... não com a força necessária porque o ramo ficou por ali e as correntes até o trouxeram para a margem... e aqui o fotógrafo ficou frustrado porque não apanhou o beijinho que eles deram... talvez para a próxima, quem sabe, embora estas coisas só aconteçam uma vez na vida: quem diria que na primeira vez em que fui fotografar os passarocos com Sol apareceria um casal a pagar uma promessa, no preciso momento, quase no preciso segundo! Acho que posso lá voltar mais um milhão de vezes que não encontrarei ninguém a lançar ramos ao rio...


5 comentários:

Mulher disse...

Que terão eles perdido ou encontrado naquele local? Certamente coisa que muito amam ou amaram!

argumentonio disse...

a um rio assim tudo se pede!!!

;_)))

GarçaReal disse...

Pelo menos foste testemunha de algo pouco habitual....Valeu mais que as fotos dos passarocos, pois eles estarão sempre lá à tua espera.

Bom domingo

bjgrande do lago

BRANCAMAR disse...

Gostei deste teu blog mais dedicado a interessantes momentos fotgráficos.

Se um dia as minhas cinzas forem lançadas ao mar gostaria que alguém tivesse este lindo gesto. Nessa altura já não veria, nem sentiria, mas era sinal de que alguma coisa tinha deixado de mim nos outros e que a minha vida não tinha sido em vão.

Beijinhos.

Branca

Ana disse...

Talvez o aniversário de alguém que morreu no rio.
Um gesto muito bonito.
Beijinhos